top of page

104 anos do Santuário do Rocio: raízes de fé


A história de milhares de devotos de Nossa Senhora do Rocio está ligada ao Santuário da Padroeira do Paraná que neste mês de maio completou 104 anos de edificação. Há os que lembram deste Solo Sagrado quando ainda era uma singela paróquia, com o mar chegando à porta. Outros recordam dos bondinhos que passam ao lado da igreja. E ainda tem aqueles que se emocionam ao lembrar da infância vivida aos arredores do bairro Rocio, das festas e procissões.


O santuário é cenário da vida de muitas famílias; daquelas que escolheram a igreja para selar o sacramento do matrimônio, batismo dos filhos, para receber a 1ª Eucaristia ou alcançar um milagre pela intercessão da Padroeira do Paraná. São incontáveis histórias de fé e devoção, entre elas, a do casal Edenoir e Arlete Maria Batista que há 50 anos se casaram no Santuário do Rocio.



Imagem: arquivo pessoal


A vida do casal sempre esteve relacionada com o santuário. Saudosos, contaram que desde crianças frequentavam as missas e participavam ativamente das ações desenvolvidas na igreja. “Eu vou no santuário desde criança. Naquela época poucas pessoas iam lá”, disse Arlete. O devoto Edenoir relembrou que parte da infância foi vivida aos arredores do santuário e que frequentava as missas com os irmãos, além de ter sido batizado na igreja. “Desde os oito anos de idade eu participo das missas no Santuário do Rocio. Eu, minha irmã e meu irmão sempre fomos. Eu sou batizado lá”, contou.


Para Edenoir e Arlete, a casa da Padroeira do Paraná sempre foi um local de acolhimento e de família. Diante disso, os dois não tiveram dúvidas ao escolher a igreja que iriam receber o sacramento do matrimônio. “O Santuário do Rocio sempre foi um local que nos acolheu. Tivemos muitas bênçãos alcançadas. Tenho a minha filha e meu neto que estão seguindo o mesmo caminho que o pai e o avô. O que mais nos marcou enquanto família foi o nosso casamento em 1974, uma herança de devoção que já vinha dos nossos pais”, disse Edenoir Batista.



Foto: arquivo pessoal

Elaine Batista, filha única do casal e coordenadora da Pastoral dos Servidores do Altar, diz ter orgulho da base familiar e da herança de fé consolidada pela família. “A herança que meus pais me deixam é motivo de muito orgulho, pela longa história deles na fé, com uma formação familiar saudável e de muitas bênçãos que recebemos sempre de Nossa Senhora do Rocio. Eles passaram para mim e eu passarei para o meu filho”, declarou.


O Santuário do Rocio

A atual edificação foi inaugurada em 30 de maio de 1920, com o estilo arquitetônico Neobarroco, desenvolvido pelo arquiteto e pintor Alfredo Andersen, considerado o "pai da pintura paranaense". A então paróquia de Nossa Senhora do Rocio foi declarada Santuário Estadual em 2003 pelos bispos do Paraná.


O Santuário do Rocio é um importante Polo do turismo religioso do Paraná que atrai milhares de devotos. Anualmente, no dia 15 de novembro, no dia de Nossa Senhora do Rocio, mais de 150 mil pessoas visitam a igreja centenária.


Há mais de 70 anos, toda a estrutura pertencente à igreja é administrada pela Congregação do Santíssimo Redentor -Missionários Redentoristas- e faz parte do Regional Sul II da CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Os Missionários Americanos chegaram em Paranaguá em meados de 1945 e instalaram a primeira comunidade redentorista na região.

11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page